Luiz Netto

Fotografia & Meio Ambiente

Indigenismo

Dom Pedro Casaldáliga

A igreja que historicamente auxiliou a escravizar, aculturar e dizimar as comunidades tradicionais brasileiras paradoxalmente viu surgir no século XX muitas figuras católicas dispostas a corrigir os erros grosseiros do passado, cunhando grandes defensores das comunidades e de todo seu legado (tardições, idiomas, entre outros).

Das figuras pernambucanas não há como não citar Dom Helder e o Padre Alfredo Dâmaso, profundo defensor dos índios Fulni-ô, no município de Águas Belas. A nível nacional, uma figura sempre se destaca, o espanhol Dom Pedro Casaldáliga, ainda a espera de seu tão merecido Nobel da Paz que teima em não chegar e que vai perdendo a corrida para o Parkinson.

Sempre que uma nova matéria sobre Casaldáliga é publicada, mais histórias espetaculares são contadas e na ausência de outra biografia melhor sobre ele, resta-nos as matérias como esta do El Pais, publicada há poucos minutos. Vale a lida clicando AQUI.

Casaldáliga, que também é ótimo escritor, faltou justamente registrar em vida muito dessas experiências, enriquecer o pobre acervo bibliográfico brasileiro sobre nossas etnias e a luta das comunidades tradicionais, limitou-se a livros de cunho religioso, o que não diminui sobremaneira sua relevância para a a história do Brasil.

Deixe um comentário